Mulher busca família após perder contato há quase 60 anos, em Corrente

0
80

Altina que hoje tem 64 anos de idade conta que saiu da cidade natal aos 5 anos de idade

Altina Viana Ribeiro é missionária em Guarulhos (SP), e tem uma resposta na ponta da língua quando perguntam qual seu maior sonho: Reencontrar a família. Há 60 anos, ele tenta reatar o contato com os familiares que ficaram na cidade de Corrente no interior do estado do Piauí.

Em contato com o Repórter Alessandro Guerra, a mulher contou que tem três nomes, o que complica sua vida, entenda: “O meu nome é Altina, e de batismo é Aldina, mas me chamam de Ângela é um apelido de adolescente, naquela época não davam importância ai me complicou, mas antes de sair de Corrente me chamavam de Aldina”. Relatou.

Altina que hoje tem 64 anos de idade conta que saiu da cidade natal aos 5 anos de idade, após sua mãe ter lhe deixado aos cuidados de sua bisavó, que posterior morreu e novamente ela passou aos cuidados de uma tia irmã do seu pai. “A minha mãe (Minervina Cardozo), foi trabalhar em uma fazenda próximo da Bahia, não me recordo o nome, mas sei que ela morreu por lá depois de 2 anos, ai fiquei com a minha bisa Agostinha da Silva Viana, que depois morreu, ai fui morar com uma tia do meu pai, ele morreu e minha nos deixou com parentes, fui primeiro para Barreiras do Piauí, ai depois de 4 fomos morar em Goiás”. Contou.

Ela recorda que seu pai era vaqueiro no município vizinho de Parnaguá- PI, e morreu vitima de acidente, quando correria a cavalo atrás de um boi e ficou imprensado entre árvores. “O meu pai (Eutimio Viana Ribeiro), morreu imprensado em uma árvore, ele era vaqueiro em Parnaguá, estava correndo a cavalo atrás de um boi quando o cavalo entrou entre duas árvores”. Disse.

Altina recorda que morava na Rua da igreja católica da cidade, ela listou o nome de mais alguns parentes. João Ribeiro era um tio. “Fiquei um ano com ele antes de ir morar com minha tia Eufrasia Viana Lira, José Viana Silva, tem o José Viana é tio do João Ribeiro”. Relatou.

A missionária lembra também de irmãos. “Tenho três, o mais novo não conheci não sei para onde foi, o outro veio para Goiás com meu tio João Ribeiro, um era Osias”.

Altina ou Missionária Ângela Rodrigues como é conhecida em São Paulo, espera que alguém que leia essa reportagem o ajude a encontrar sua família através do Repórter Alessandro Guerra. Conato : (89) 9 9974- 3718 (Whatsap).

Fonte: Alessandro Guerra

DEIXE UMA RESPOSTA

Comente
Por favor digite seu nome